Sistema de Apoio à Decisão


 

De acordo com (HEINRICHS, 2003), para competir no mercado global de hoje, as empresas precisam deter mais conhecimento do que antigamente e, ainda, para obter sucesso, elas precisam saber mais sobre seus clientes, mercados, tecnologias e processos, e precisam ter essas informações antes que seus concorrentes.

Para uma tomada de decisão é necessário ter em mãos informações estratégicas e, tendo em vista esse princípio, as empresas começaram a extrair dados dos seus sistemas operacionais e armazená-los, separados dos dados operacionais, donde surgiram os Sistemas de Apoio à Decisão. Esses sistemas são soluções computacionais desenvolvidas para apoiar a tomada de decisões complexas durante a resolução de problemas. Ferramentas clássicas de Sistemas de Apoio à Decisão compreendem componentes para gerenciamento de banco de dados sofisticados com poderosas funções de modelagem e projetos de interface com o usuário permitem trabalhar interativamente com questões, relatórios e funções gráficas.

Segundo (BIDGOLE, 1989) as decisões são classificadas em:

  • Decisão estruturada: apresenta procedimento operacional padrão, bem definido e claramente projetado. Este tipo de decisão conta com sistemas de informação relativamente fáceis de definir, programáveis, baseados em lógica clássica, fatos e resultados bem definidos, horizonte de tempo pequeno, rotinas repetitivas e voltados para baixos níveis da organização;
  • Decisão semi-estruturada: não é totalmente bem definida, porém incluem aspectos de estruturação; podem em grande parte contar com apoio dos sistemas de informação;
  • Decisão não-estruturada: não apresentam qualquer padrão de procedimento operacional, não se repetem. No tocante aos sistemas de informação, estes podem apenas apoiar ao decisor, o qual precisa contar fortemente com sua intuição, experiência etc. São difíceis de formalizar, envolvem heurística, tentativa e erro, senso comum em adição à lógica, horizonte de tempo longo, raramente replica decisões prévias e voltados para os níveis intermediários e alta gerência.

 

Um sistema de apoio à decisão possui como arquitetura básica dados, modelo e usuário. Conforme (SPRAGUE & WATSON, 1991) são identificados três níveis de tecnologia necessárias em um ambiente de sistema de apoio à decisão, conforme demonstrado na Figura 1.

 

Figura 1 – Tecnologias dos SADs


Fonte: BIDGOLI (1989)

 

  • SAD Especifico: é o sistema em si, combinação de hardware e software usada para apoio à decisão de uma operação especifica;
  • Gerador de SAD: combinação de software e hardware utilizado para desenvolver um SAD Especifico;
  • Ferramentas de SAD: hardware e software usados para desenvolver um SAD Especifico ou um Gerador de SAD.

 

O processo de tomada de decisão pode ser traduzido como uma sequência de tarefas que envolvem uma grande quantidade de informação com relacionamentos complexos entre si, os Sistemas de Apoio a Decisão tem ênfase na simulação e exploração de dados, com o objetivo de dar suporte às decisões de simulação e exploração de dados. De acordo com (ALTER, 1980) os Sistemas de Apoio à Decisão são classificados em:

  • Sistemas de análise de informações: provêm acesso a uma série de dados orientados a decisão e pequenos modelos para prover informação gerencial, possibilitando a análise através do uso de dados internos. Podem ainda, a partir de dados do passado, gerar previsões para períodos futuros;
  • Modelos de contas: calculam a consequência de ações planejadas sobre a base de definições de contas, em geral, geram estimativas baseadas em variações das entradas nas fórmulas das contas;
  • Modelos de representação: incluem modelos de simulação que estimam a consequência de ações sobre a base de modelos, tais como probabilidades de ocorrências;
  • Modelos de otimização: oferecem linhas de ação para uma solução ótima, considerando as restrições necessárias;
  • Modelos de sugestão: consideram uma sugestão específica para uma decisão, substituindo procedimentos menos eficientes

 

Essas categorias possuem dois agrupamentos, onde os três primeiros itens pertencem aos sistemas orientados a dados e os demais itens pertencem aos sistemas orientados a modelos. Segundo (BIDGOLI, 1989) à medida em que os usuários começarem a aceitar os conceitos de um Sistema de Apoio à Decisão e a utilizar todos os recursos de sua organização para estimular o aprendizado acerca dos problemas e suas soluções os Sistemas de Apoio à Decisão se tornarão mais efetivos e frequentes.

 

REFERÊNCIAS

BIDGOLI, H. Decision Support System – Principles and Practice, West Publishing Company, New York, 1989.

 

HEINRICHS, J.H. and Lim, J. (2003), Integrating web-based data mining tools with business models for knowledge management, Decision Support Systems, Vol. 35 No. 1, pp. 103-12.

 

SPRAGUE, Jr., WATSON, Hugh J. Sistema de apoio à decisão: Colocando a teoria em prática. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

 

 


 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s